Dicas para viagem internacional com bebê

Atualizado: 20 de Ago de 2018

Muitas pessoas acreditam que depois que nascem os filhos estarão privados de viajar. Nesse post eu trago meu relato e algumas dicas de se fazer uma viagem internacional com bebê pequeno.


Muitas pessoas pensam que depois que nascem os filhos estarão privados de viagens. É logico que a vida muda, mas podemos fazer algumas adaptações, por exemplo, se viajamos sozinhos podemos dar uma esticada na noite e ir a baladas, algo impensável quando se tem filhos. Mas a vantagem é que com eles viagens turísticas são excelentes, como aquelas em que se precisa se deslocar o tempo todo, pois eles acabam dormindo no caminho.

"Eu sempre digo que um bebê feliz é um bebê que dorme bem. Então sempre respeitamos o sono dele."

Quando fizemos essa viagem o Miguel tinha 5 meses. Todos os lugares que eu li me recomendavam viajar com bebês menores de 6 meses, pois esses só mamam no peito. Porque nas viagens com bebês temos de pensar no que eles vão comer, já que com menos de 1 ano não é ideal oferecer comidas de restaurantes e nem as de avião. E outra vantagem é que eles não engatinham ou andam ainda, então são mais "tranquilos" para viajar.

MIguel no carrinho ao lado da Torre de Pisa

Detalhes da Viagem


O vôo: Aviões de longas viagens contam com "bercinhos" - bassinet (em inglês), cula (em italiano), bem a frente dos primeiros assentos tem uma "paredinha" em que eles são colocados. Se quiser utilizar esses assentos e o berço, tem que fazer a solicitação antecipada na companhia aérea. Eles suportam até 11 quilos. Mas na prática não deu muito certo para o Miguel. Ele rola muito pra dormir, então ele conseguiu tirar "cochilos". Durante a noite eu tive que colocar ele no meu colo, para ele conseguir fazer as transições de sono e dormir por mais horas. No vôo da volta foram 7 horas com ele no colo 😓. Eu achei uma posição meio deitada de lado com as pernas em cima da mochila que deu pra dar uma cochiladas sem medo dele cair ou meu braço ficar doendo. Na viagem da ida que foi de dia, o bercinho ajudou ele a descansar do colo e a fazer os cochilos.


Berço do avião


Na cidade: Eu sempre digo que um bebê feliz é um bebê que dorme bem. Então sempre respeitamos o sono dele. Eu demoro muitooo pra tomar café da manhã em hotel, então teve dia que acordávamos, tomávamos café e voltamos para o quarto para ele dormir. A janela de sono da 1a. soneca é muito curta. Aí sim nos arrumávamos e saíamos para passear. O Miguel não dorme fácil no carrinho, porque não foi acostumado, então dormiu poucas vezes. Ele dormia mesmo era no Canguru (sling). Eu amamentava de 3/3 horas, então quando víamos que ele estava com sono colocávamos no Canguru e ele dormia de boa com a gente andando. Compramos o carrinho da Chicco "uh la la". Ele é perfeito para viagens! É leve e ainda tem uma capa de chuva! É melhor do que aqueles guarda chuvas, mas só vai até 15 kg. No vôo podemos ir com ele até o avião, e eles despacham e nos entregam na porta quando pousarmos (mas isso só no Brasil. Na Itália tínhamos que pegar ele ao lado da esteira - carrinho e bebê conforto é grande e é considerado produto que pode quebrar, então não vai na esteira). Nós passeamos por Roma, Florença e Veneza. O lugar mais difícil de passear de carrinho foi Veneza. É o lugar mais fácil de andar, por que é muito perto ou a gente usa o barco (vaporetto), mas tem muita ponte, então toda hora tínhamos de fazer musculação e levantar o carrinho pra passar rsrs. Até pensamos em deixar o carrinho no hotel e levar ele só no Sling, mas ele é muito pesado então precisávamos desse descanso também. Outra vantagem do carrinho é que ele não conseguia se sentar sozinho nas cadeirinhas de restaurante, então ele ficava no carrinho enquanto comíamos.

Mas daria pra fazer sem o carrinho numa boa, mas a minha coluna não estava legal depois do parto, então... eu precisei de tomar anti-inflamatório já nos primeiros dias, pois em Roma andamos d+ kkkkkkkkk. Troca de Fraldas - na Itália não é todo restaurante que tem fasciotolo (fraldário) então a gente trocava no carrinho, no meio da rua mesmo.


Miguel dormindo no canguru

Bebê conforto/ cadeirinha: Eu MORRO DE MEDO de andar com bebê no colo em Goiânia. Já vi muitoooos acidentes, principalmente no início da manhã, que tem motorista bêbado com sono saindo de balada. 😡 Então levamos o bebê conforto por causa do trajeto: casa - aeroporto - casa. Como já está levando o bebê conforto, a gente o utilizava no trajeto aeroporto - hotel. Mas só. Na Itália o povo dirige igual doido, mas eram curtos os trajetos então deixamos o bebê conforto no hotel. Eu sei de uma pessoa que alugou carro na Itália e pediu bebê conforto. Então existe essa possibilidade também. Dá pra despachar e não é contado como mala, igual o carrinho.


Amamentando na Fontana de Trevi

Amamentando no Coliseu

Jantar: Não saíamos para jantar fora no estilo tradicional: ir para o hotel, nos arrumar e depois sair. Ah não ser que você leve alguém para ficar com o bebê no quarto, ou deixe a babá eletrônica e vá comer no Hotel. O Miguel não tinha o sono estável. Às vezes ele acordava na 1a. transição de sono e só voltava a dormir se alguém estivesse perto. Então, no final do passeio nós passávamos em um restaurante e já jantava.

Fuso Horário:

O sono dele ficou doidão, mas se adaptou após uns dois dias de viagem. No Brasil ele dormia as 19:00, 19:30. Lá ele só ia dormir a partir das 20:00, porque até que a gente janta, chega no hotel, faz a rotina da noite, aí ficava tarde.

Berço no hotel: Você pode levar aqueles desmontáveis tipo da burigoto, ou já solicita um no hotel com antecedência. A maioria tem. Nós preferimos pois já estávamos levando bagagem d+ 😅.

Outra coisa é que o Miguel só dorme no quarto escuro com o som do útero. Então nós já tomávamos banho, porque aí ele dormia e a gente ficava na cama vendo filme que eu baixei no iPad, ou já íamos dormir. A rotina do dia cansava bastante. E como o ele acorda cedo (ele acorda 07:00), então era melhor pois a gente descansava.

Banheira:

Você pode levar uma banheira de encher, tipo a do patinho da Munchkin, ou inclui ele no seu banho (era o que fazíamos. Ele tomava banho de chuveiro com o pai).

Brinquedos: Vale a pena levar a girafa Sophie. Kkkkkk ele ficava com ela o tempo todo. E alguns para ele brincar no quarto enquanto a gente se arrumava. Ficávamos o dia inteiro fora. Ele só brincava quando estávamos nos arrumando para sair.


Vista do terraço em Veneza

Nossa opinião: apesar de ser bem cansativa, é super possível e prazerosa a viagem com bebê. E se fosse possível faríamos ela novamente. 👶✈❤

235 visualizações

Solicite seu orçamento

Alguma dúvida sobre nosso trabalho? Gostaria de saber nossos valores? Entre em contato e estaremos prontas para atendê-la! 

+55 62 98174-4144 (whatsapp)
mamaesamigasconsultoria@gmail.com
Goiânia e Região
  • icone-abstrato-rede-social_1057-3666copi
  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon

© 2018 por Ka design.